Barra Brasil

NoticiasLinux.com.br

Vamos colocar o linux no desktop

2005-08-09 01h11min




Depois de uma conversa de uns 30 min com uns amigos do curso para certificação conectiva 10 resolvi escrever este texto que, creio eu, deve ser lido e discutido intensamente entre nós amantes do linux.

É sabido de todos nós que o linux é um excelente S.O que em muito supera outros S.Os. mas até agora não existe, verdadeiramente, linux para desktop.
Falta para o linux uma interface com o usuário muito mais amigavel.
O usuário comum só quer saber de rodar o programa e dar next no botão.
Nenhum usuário comum quer abrir o console e ficar digitando comando naquela tela.
Usuário comum não precisa entrar nas listas de discussões e sites afins para conseguir instalar o bendito modem ou a placa de som que insistem em não funcionar direito.

Estas pequenas coisas que não tem no linux atrapalha e muito a sua ascenssão total para o mercado desktop.

A primeira providência a ser tomada seria a patronização total das distribuições, é complicado ter que tratar os codigos do slack de um modo, do debian de outro, o do red hat de outro etc.

Existem padrões mas o melhor seria adotar apenas um, com certeza ficaria muito melhor para os desenvolvedores de software e programadores.

Existem projetos como o umclique.org que permitem ao usuário instalar um programa, como o nome diz, com apenas 1 clique no mouse, o problema são aqueles usuários com conexão discada.

E mesmo quem tem internet rápida o certo e você colocar o cd do programa no CD-ROM e com um auto run ele rodar e começar a instalar.

Nada de comandos rpm, apt-get, tarballs e afins.

Para que este tipo de coisa ao simples usuário desktop ?
Por que eu tenho que entrar no console para poder tirar o máximo proveito do meu S.O ?!
Por que não implementar isto com janelinhas bunitinhas sem nenhum código para o usuário comum ?

Outro problema são os softwares, usuários não utilizam o linux por falta de ferramentas e os desenvolvedores não fazem nada por falta de usuários.

Então temos que mostrar para os desenvolvedores e para os usuários que o linux pode sim entrar no mundo desktop e contagiar os usuários.

Por que não deixar o linux bem desktop? Vejam a Microsoft podem falar oque for do Windows mas ninguem abandona ele 100 %. Ele é o exemplo ideal para um S.O voltado ao usuário comum.
Não existe problema em segui-lo neste aspecto, com todo o desenvolvimento do linux e suas funcionalidades ele iria suprir o Windows rapidinho.
Afinal é free e quem quiser fazer um S.O personalizado é facinho ...

No final do ano tem a ConiSQI (Congresso Internacional de Software Livre) seria interessante discussões deste tipo lá também.

Nós, amantes do pinguim, se quisermos ele nos PCs pessoais pelo mundo todo devemos começar a batalhar isto agora, pois se não, tudo fica como esta. Só na teoria e a pratica nada.

Postada pelo autor: Sergio Clemente <sergiotucano AT yahoo.com.br>







Comentários dos leitores:


Postado por Adriano Rafael Gomes@200.102.xx.xx [site] [e-mail] em 09/08/2005 02h27min:
"Vejam a Microsoft podem falar oque for do Windows mas ninguem abandona ele 100 %."

Discordo: várias pessoas abandonam 100% o Windows.



Postado por Athila Mattos@200.158.xxx.xxx [site] [e-mail] em 09/08/2005 02h40min:
Texto bem elaborado... se pegarmos por esse lado, ainda vemos que o Linux tem muito pra crescer...



Postado por Matheus@200.234.xx.xx [e-mail] em 09/08/2005 03h31min:
Eu ja tinha pensado nisso tbm, devemos ter uma interface mais simples para a instalação, seguindo exemplo do openoffice que eh mto facil de instala lo, e nao venham flar q rwindows da pra abandona 100% pq desenvolvendores precisam deles para testar seus sitemas em todas as pltaformas... webdesginer, programadores e td mais...





Postado por MnB Linuxer@200.216.xx.xxx em 09/08/2005 04h22min:
Eu abandonei 100%. os outros que se danem.



Postado por bebeto_maya@200.164.xxx.xx [site] [e-mail] em 09/08/2005 06h13min:
__A questão das interfaces é uma lógica de jerico mesmo:O KDE e o GNOME são modulares, ao extremo.Então uma configuração correta dos ambientes criaria uma interface muito fácil de ser usada.O KDE por padrão, puro, como o usado no SLackware, é facilimo...O ponto aqui são os mantenedores, que ao empacotarem suas distros, não têm nenhuma visão de desktop que não seja a alegórica!

__Com relação aos pacotes.Acho que apt-get é a solução a médio prazo...A interface synaptic já é comptaível como 90% das distros...O metodo de instalação fica o mesmo nessas distros.

__É preciso levar em consideração que o Windows não tem um sistema de empacotamento.Os próprios desenvolvedores é que criam instaladores proprietários...Tem o MSI, mas que não é tãaao usado assim.E vemos no linux, também instaladores!



Postado por Daniel Semblano@200.146.x.xxx [e-mail] em 09/08/2005 07h25min:
Bom, eu penso isso quase sempre, ainda bem que temos pessoas que pensam assim, voltado aos usuários, visando um sistema Gnu-Linux mais humano:) Sem ser retórico e indo direto ao assunto: encaro isso como um grande desafio, tornar o Gnu/Linux pronto p/ desktop, superior ao Windows em termos de simplicidade e usabilidade.

Uma distro voltada para esses usuários: Nada de shell, nada de digitar senha de root, nada de listar processos e etc. Simplicidade, isto é, basicamente (e resumidademnte) no mínimo instalar programas com alguns cliques do mouse por ex.

Mas temos um grande problema entre nós, e principalmente nos desenvolvedores que não pensam assim: técnicos como nós que (alguns) querem que todos os usuários sejam "avançados", renegam a tal facilidade, simplicidade a segundo plano.

Menssages como essa (Postado por MnB Linuxer em 09/08/2005 01h22min:
Eu abandonei 100%. os outros que se danem.) só demonstra essa tal indiferença que citei ... faz parecer para um usuário leigo que para entrar no mundo do Linux tem que ser assim, agir como geek ... rs

Exemplos de evolução é o Open Office e o Firefox, podem ser instalados só com alguns cliques.

Agora olhando mais a fundo, como o autor sugeriu sobre os pacotes, em tese deveria existir uma unificação de pacotes, mas sabemos que é bastante dificil dada a grande diferença estrutural de cada distribuição. Vejo que grande parte dos programas são distribuídos em código fonte, e se não me engano, tem o port do Free-bsd que permite vc instalar programas a partir de código fonte. Um programa assim, rápido e funcional o suficiente, seria interessante p/ o Linux (ainda não testei o Gentoo ...)

Eu venho estudando e coletando essas dúvidas, dificuldades e sugestões de usuários que usam, usaram o Linux e basicamente cae no quesito instalação de programas e tais problemas que citei acima.




Postado por Daniel Semblano@200.146.x.xxx [e-mail] em 09/08/2005 07h29min:
Na verdade eu penso se já não existe um projeto que visa coletar, discutir, e resolver/implementar focalizadas essas questões sobre desktop, como agregar mais facilidade e simplicidade ao Gnu-Linux.

Sim, já existem distros que chegam perto, como o SuSe, mas penso que o material e know-how devia ser aproveitado para todos, se tal know-how desktop for de grande utilidade.



Postado por legal@201.19.xxx.xx [site] [e-mail] em 09/08/2005 08h22min:
legal



Postado por wzvazevedo@201.19.xxx.x [e-mail] em 09/08/2005 09h13min:
Com a razão o articulista. E isso será tanto mais real quanto mais o PC Conectado conseguir emplacar. O Kurumin - já na versão 5.0 -, é bem fácil de instalar. Mas instalar um slack ou um Debian, não é para principiantes.



Postado por Antonio@200.218.xxx.xxx em 09/08/2005 10h35min:
Amigos, balela o que vocês dizem. Vocês querem fazer do Linux o que fizeram com suas aulas de português, não estudar.

Os *unix* existem a mais de 30 anos, e continuarão a existir, seu grande diferencial é sua capacidade. Explorar essa capacidade requer estudos e dedicação.

Se o linux vai virar febre nos desktops nos próximos 4 anos? Não é nosso objetivo, hoje. Isso é secundário por enquanto, acreditem, e voltem a usar o Windows, pois para vocês o que vocês querem já existe, para que reinventar a roda?






Postado por Junior D A@200.161.xx.xx [e-mail] em 09/08/2005 10h57min:
Acredito que o trabalho de divulgação sobre Linux deva ser maior e mais intenso uma vez que micros com mais de dez anos só suportam o ruindows. Como instalar um Linux? Que versão GRÁFICA deve ser usada? Faltam informações e sobram mitos...



Postado por Urubatan neto@200.201.xxx.xx em 09/08/2005 10h57min:
Gosto de pessoas como o sr. "Rafael Gomes", que fazem o possível para não ver a realidade.

O assunto é um fato, todo mundo já está careca de saber (menos o rafael)... mas, quem se habilita?

Neto



Postado por Urubatan Neto@200.201.xxx.xx em 09/08/2005 11h02min:
Micro Antigo...

Esquece, quem tem micro antigo que utilize o Windows 3.11


Quem quer ficar atualizado, que vá nas casas bahia ou ponto frio e compre um em 36 vezes...

Programar pra computador é uma coisa, mas programar pra cafeteira é outra!!!

não dá para agradar gregos e troianos (vai instalar um XP neste teu micro antigo pra ver só!!!)





Postado por Urubatan Neto@200.201.xxx.xx em 09/08/2005 11h04min:
O Kurumin é a maior porcaria que eu já ví na vida, não sei como alguém pode chama-lo de razoável, quanto menos de "bom"...

lastimável...



Postado por MarcosSoares@200.168.x.xx em 09/08/2005 11h16min:
Gosto de usar o kurumin, minha principal distro, e pessoas como você, que acham o kurumin a maior porcaria, como disse o nosso amigo MnB Linuxer, que se danem... É fácil, intuitiva e não precisa nem instalar no HD para usar.



Postado por Paulo Roberto Franco Andrade@200.233.xxx.xxx [site] [e-mail] em 09/08/2005 11h17min:
Sergio Clemente tem razão. A popularização do Linux e o aumento de seu poder de competitividade com o MS Windows, dependem da disponibilização de interfaces gráficas simples, funcionais e esteticamente agradáveis. O restante ele já possui, em grau mais elevado e sua disseminação (em servidores) por empresas, instituições, órgãos públicos, o comprova.
Sem interfaces facilitadoras para usuários finais, nosso sistema operacional corre o risco de continuar conhecido e utilizado somente por "nós mesmos".



Postado por GnU-Linux@200.208.xxx.xx [site] [e-mail] em 09/08/2005 11h20min:
A ideia eh boa, muito bom, mais talvez a saida nao seja so podronisar o sistema operacional e sim criar ferramentas que possa ajudar o usuario desktop a interagir melhor com o seu GNU/Linux tornando assim mais amigavel e usual



Postado por SlackFan@200.97.xx.xxx em 09/08/2005 11h28min:
Concordo, acabem com todas as distros e deixem apenas o Slackware...



Postado por Sergio Clemente@150.163.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 11h30min:
Bom , vi que aqui muita gente pensa como eu .

Mas o problema é : Como iremos dissiminar este pensamento para conseguirmos com que o Linux se torne Desktop ?

Não pretendo ficar só em artigo , orkuts e e-mails.
Como falei no final do artigo precisamos da prática.

Valew pelo apoio pessoal !

OPS : Não se deve ler o guia FOCA para poder usar o Linux com o Desktop.
O Linux sim tem a pretenção de ser usado como Desktop , senão , por que existiria Kurumins , Suses , Conectivas e afins ?

Quem ainda ve o Linux apenas para servidor esta fora da realidade.

Paulo Roberto , é oque eu penso , o Linux ficar apenas nesse mundo Técnico.



Postado por Marcos Amorim@200.206.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 11h36min:
Em todas as respostas postadas existem uma coisa que é fundamental para que o Linux chegue para ficar em Desktops: Padronização a famosa LSB.
Quem é um usuários experiente em linux baixa os fontes e compila o programa, mexe no arquivo x, y, z e instala a dependência Libtal e para o usuário final, aquele que fica catando milho, procurando as teclas no teclado, será que ele consegue raciocinar para instalar e mexe nesses arquivos? Nào estou dizendo que não são capazes de faze-lo, mas não tem o "conhecimento" para tal.
Um sistema desktop deve ser fácil utilização e que não precise ficar compilando e reconfigurando.
As divergências entre as milhares de distribuições Linux fazem com que ele demore ainda mais para chegar no Desktop, alguns usam o Kurumin por sua interface agradável e facil manuseio, os diversos "scripts" que foram desenvolvidos para facilitar a visa dos usuarios fazem dela o que ela é hoje, um SUCESSO, se á melhor não importa ela tem uma visão de que o usuário não sabe fazer tudo em Linux. Isso é importante.
Eu uso a versão CDD do Debian e mesmo assim as vezes quero jogar o Notebook no chão.

Bem essa discursão ainda vai Longe e para o Usuário final, o conceito que deve ser utilizado na minha opinião é o kurumin.




Postado por Sergio Clemente@150.163.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 11h46min:
Marcos , eu pensei mesmo na LSB .

Uso o CL10 e sei que ele "tenta" seguir este padrão.

Adoro o Slack e fiquei meio chateado de pegar a prova da LPI e errar várias questões por causa de padrões.

Faço curso para Certificação da Conectiva e realmente atrapalha muito isso.

Mesmo que tivessemos várias distribuições se todas forem padronizadas já ajuda muito!

Mesma coisa com o Windows , existe o 95,98,2000,2003,ME,NT,XP , LOngHorn (CREDO !)

Mas o padrão sempre é o mesmo , quando muda é pouca coisa.

Isso falta no linux.

Se eu desenvolver um aplicativo no Kyrix ai terei que fazer pacote para debian , slack e red hat, para um desenvolvedor isso é um grande empecilho!

FALOW !



Postado por Anti-FUD@200.164.xx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 11h46min:
Leia

http://www.linuxdailylog.com/2[...]weinberg-da-osdl.html#more-137

"Weinberg critica a abordagem do Linux como substituto direto para o Windows:

Os maiores desafios que a adoção no desktop encara surgem com a expectativa, pelos usuários, de 100% de compatibilidade, interoperabilidade e, mesmo, total similaridade de operação com a base instalada Windows.

O desktop Linux é viável em si mesmo, mas não é, de nenhum modo, substituto direto para muitos usos do desktop Windows. Nem deveria ser. Replicar o ambiente desktop Windows constituiria-se numa infinita corrida atrás das escolhas de Redmond. Ao contrário, o que estamos vendo é uma evolução orgânica do desktop corporativo Linux para satisfazer um conjunto auto-determinado de requisitos de negócios, técnicos e regionais."


Linux NÃO é Windows e usuário comum pode ser leigo mas em geral (especialmente o brasileiro) não é tão burro quanto pensam, tanto que sabe que windows é ruim e caro e não paga mais do que R$ 10 no camelô. Eles só usam windows porque precisam dele infelizmente para rodar os programas que estão acostumados.



Volte para o curso de linux porque você está precisando mesmo aprender linux e USE efetivamente o linux como desktop, como eu faço. Dane-se se algumas bestas não gostam de digitar comandos; para iso existem teclados nos micros, e não apenas mouse.



Postado por Protomorphos@200.222.xx.xxx em 09/08/2005 11h51min:
"Eu abandonei 100%. os outros que se danem."

É por causa de pessoas, como o MnB Linuxer, que são extremamente egoistas e não expressão a mínima consideração com o próximo, que as coisas não funcionam. Me desculpem estar um pouco fora do tópico mas isso vai muito mais além do que uma simples opnião sobre uma distribuição. É uma questão de caráter.

Gosto muito do linux e sua filosofia mas não consigo, ou posso, largar o windows 100%.

Muito obrigado Sergio Clemente pelo ótimo post.



Postado por Sergio Clemente@150.163.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 11h58min:
Anti-FUD

Se o Linux vai ou não substituir o Windows é outra estória.

Mas sim , um programa que roda no Windows deveria rodar no Linux.

Qual é o problema ? Isso só ajuda ao usuário e a nós mesmos.

Por que pensar apenas em você? Você sabe , mas por que um Pediatra vai precisar conhecer a fundo o linux?

É a mesma coisa de você ir no Ortopedista e ter a necessidade de conhecer a fundo a profissão dele.

Realmente , estou precisando aprender muito ainda e eu não uso o Linux como Desktop , uso apenas para trabalho .
E o dono da venda da esquina que não quer saber oque significa um If .. Else não é nenhuma besta.



Postado por André@200.207.xx.xxx [site] [e-mail] em 09/08/2005 12h25min:
Discordo; pois veja só, o que falta realmente no brasil não é o linux para Desktop, mas sim conhecimento. pergunte as pessoas que conhece que fazem cursos em escolinhas de informática o que é pop3. Não vão saber, esse é o problema.

Já em relação as distro apoio sim que um distro deve ser "facil" de usar, e que realmente uma padronização seria interressante. Porém uma padronização perderia muito pois muita coisa pode ser descoberta e aproveitada dependendo da ocasião.



Postado por Fabricio Lima@200.241.xx.xx [e-mail] em 09/08/2005 12h35min:
Qto a quetao de instalacao, um software como o nsis iria ajudar muito, dai so iria faltar uma padronizacao qto as bibliotecas.



Postado por Alexandre@200.207.xx.xx [e-mail] em 09/08/2005 12h52min:
Acredito que não seja só uma questão da comunidade de usuarios linux o problema, vejam só, se um usuario comum for comprar uma webcam por exemplo, vem um cd que da suporte só ao Windows, mesmo a nvidia que tem suporte ao linux, não vem no cd o software para linux de instação tão fácil e amigavel, e com alguns erros, mas isso é contornável. E sobre as versões de wins 95,98,me,xp etc, tambem vem suporte nos respectivos cds, e porque para linux não vem? Não estou desmerecendo a nvidia, mas acho que todos os fabricante de hardwares deveriam dar uma mãozinha tambem, pois acho que 90% dos hardwares vendidos são e dão suporte apenas ao windows. Eu sou usuario iniciante no linux, estou gostando muito, acho que o kurumim está no caminho certo e com ajuda do site www.umclique.org facilita bastante, é uma idéia inovadora, e o mais legal é o primeiro passo. Não acho que o linux deva ser comparado ao windows, pois a comunidade pensa em fazer um software confiavel o mais amigavel possível e estamos no cominho certo, ja o windows é outra história, é um programa proprietário e inovador em certo modo, direcionado para usuarios finais, as vezes ou quase sempre não se importando com segurança, confiabilidade e estabilidade, o windows está aí pelo dinheiro, e só está aí porque no camelô custa R$10,00.




Postado por Israel Filho@200.141.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 13h09min:
Alguns criticaram a frase: "ninguem abandona ele 100 %". Porém, deve-se ter em mente que isso é dito no contexto do usuário comum, aquele que por não ter familiaridade nem conhecimento técnico não consegue adaptar o linux às suas necessidades.
Acredito que podemos ter as duas coisas. A facilidade de uso que o usuário comum deseja (e precisa) sem sacrificar o que já existe e que tornou o Linux o que é hoje.



Postado por André Pestana@200.207.xx.xx [e-mail] em 09/08/2005 13h14min:
Acho que o fato de Linux ser software livre faz com que não haja essa padronização. Qualquer um pode fazer o que quiser e somos todos livres pra fazer mesmo. O problema é que todos ficam esperando por uma distro perfeita. Eu mesmo já testei muitas e não encontrei nenhuma.

Atualmente uso Ubuntu por ser uma distro estável, possuir o apt-get e por ser relativamente amigável. O Gnome tem muitas facilidades que deixam a M$ com inveja mas não tem essas facilidades e padronização em 100% do sistema.

Muito já foi feito em relação a melhorias do Desktop. Quem já tentou instalar o Conectiva Red Hat Linux 3.0 pode falar isso.

O problema é que a evolução do linux é lenta e dispersa. Existe muito desperdício com a falta de uma boa padronização.

Distros para desktop existem mas perdem o sentido quando exigem o pagamento de licença. Pra que um usuário vai trocar windows por linux se tiver que pagar por isso? Eu sei que existem muitas razões mas que o usuário não está interessado. Por isso acredito que precisamos de uma distro não comercial que se preocupe exclusivamente com a experiência do usuário e com a padronização do sistema.



Postado por Sergio Clemente@150.163.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 13h16min:
Alexandre , nesta questão de suporte aos hardwares você esta com toda razão.

E Israel , concordo plenamente com você !





Postado por Sergio Clemente@150.163.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 13h25min:
Coisas como oque a RED HAT fez realmente são ruins de engolir.

Muita gente esqueçe que ser livre não quer dizer ser gratuíto.

Eu posso muito bem cobrar pelo meu linux caseiro com tudo tenho que disponibilizar eu código fonte.

Isso é que Garante as licenças e que o Linux se encontra.

Agora pagar licença como o da RH que virou uma RED WINDOWS não faz sentido mesmo.

FALOW !



Postado por Henrique Meira@200.197.xxx.xx em 09/08/2005 13h27min:
Já existem distros bem desktops. Eu mesmo utilizo o Fedora em casa por ser uma distro extremamente prática.

Para um usuário inexperiente seria de grande ajuda, pois ele pode instalar, configurar e utilizar o SO sem escrever uma linha de comando, tudo com interfaces visuais e de fácil assimilação, e com um plus: em português.

Muitas outras distros fazem isto, como a já citada SUSE. Pra mim a falta de utilidade do Linux para ambientes desktops, como tbm já foi citado, é a falta de joguinhos ridículos e alguns programas mais ridículos ainda, que, pos sua vez, conquistam a grande massa usuária do Windows.

Há algum tempo atrás eu sentia que faltava programas CAD compatíveis com o colosso AutoCAD para linux, porém, hoje em dia isto já é uma realidade, existem bons programas para este nicho. Em outros tempos faltavam pacotes de escritório, para substituir o consagrado MS Office, porém hoje somos surpreendidos pelo Open Office, com grandes melhorias a cada atualização... enfim, temos tudo na mão para um ambiente desktop. Eu não entendo o que pode estar faltando... joguinhos??? Talvez... mas acho que o mais importante é difundir no boca-a-boca.

abraços,

henrique.



Postado por ubiratamuniz@200.157.xx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 13h33min:
O maior problema que vemos aqui no meu serviço com relação ao "Linux para desktops" (detalhe, trabalho em um órgão pioneiro na migração de servidores, todos os nossos servidores são Linux com exceção de um Windows 2003 server mantido por necessidades específicas - aliás, foi instalado ontem, antes era um 2000 server, a instalação tanto do SO como dos aplicativos que rodam sobre ele foi extremamente fácil) é justamente o fato de a comunidade ser dividida. Não existe um sentimento de colaboração. O que a gente vê na comunidade Linux são programadores querendo reinventar a roda o tempo todo. OK, você fazer uma aplicação similar a uma que existe no Windows é interessante. O maior problema é que um toma a iniciativa e desenvolve um primeiro programa. Aí vem outro desenvolvedor, vê o programa desenvolvido e diz "achei uma merda, vou refazer tudo do zero", aí você tem não só um, mas dois programas marromenos. Aí vem um terceiro desenvolvedor achando que os outros dois softwares são uma merda. Reinventa a roda de novo. Ou seja, em vez de a comunidade efetivamente colaborar entre si, ajudar uns aos outros para melhorar os sistemas (que era a visão utópica do Linus Torvalds e do Stallman), o que a gente vê é um bando de moleque com picuinha querendo se mostrar pra dizer para a comunidade que é melhor que o outro. Enquanto o software livre e suas filosofias não forem levados a sério (de verdade) pela própria comunidade, não vai emplacar para o usuário final.
Comentários como esses que "kurumin é uma merda", "slack é o que há", demonstra apenas essa limitação de visão que eu acabei de citar. É aquela mentalidade de "os outros que se danem". Não podemos NUNCA esquecer um dos méritos do Kurumin que é justamente o de ser uma maneira sem traumas de demonstrar o Linux para quem não conhece. E o slack também tem lá seus méritos, é uma excelente distro para usuários avançados. Mas não podemos querer que TODOS sejam avançados. Tem muita gente aí que quer um computador apenas para acessar a internet, escrever textos num processador e rodar joguinhos. Enquanto a comunidade não entender que apenas dizer "eu odeio o Windows" não adianta, acabar com essa falácia e realmente INVENTAR algo (e mais, inventar em conjunto, parar com essa putaria de não colaborar entre si e ficar reinventando a roda o tempo todo) que torne o Linux tão fácil de usar pro usuário final como o Windows, o Bill vai continuar enriquecendo.

Trabalho há cinco anos com Linux, e só agora que eu tive coragem de priorizar o uso do Linux no meu desktop do trabalho (Mandriva 10.2). Em casa continuo usando XP. Por que será?

E não me venham com churumelas, não vou ficar ensinando conceitos avançados de sistema operacional pros meus pais de mais de 60 anos de idade não. O computador deles provavelmente vai ficar com Windows pra sempre se a comunidade Linux continuar pensando dessa forma.


É isso que eu tinha a dizer.



Postado por Eric Jardim@200.157.xxx.x [e-mail] em 09/08/2005 13h36min:
Que texto mais ordinário, infantil e mal redigido. Você fala como se o sistema Gnu fosse um lixo, sem o menor embasamento.

Várias dessas coisas que você está propondo, já estão presentes em diversas distribuições do Gnu. Hoje é possível utilizar o Gnu para a maioria das tarefas comuns.

Essa história de que o Gnu só serve para servidores é velha. Ao meu ver, os projetos GNOME e o KDE já são maduros suficientes.

A questão da compatibilidade dos modems (e hardwares) é algo que não depende apenas dos programadores, mas da boa vontade dos fabricantes.

Enquanto houver fabricantes de hardware que não colaboram para que sejam criados drivers, será difícil acompanhar tecnologicamente.

A solução é o "consumo responsável". Só compre hardware de quem colabora com os padrões abertos ou fornece meios para escrever os hardwares.

O resto já foi superado, a muito tempo. Digo isso pois não uso Windows a anos e não sinto a menor falta.

A escolha é sua. Não existe utopia: o Gnu é uma realidade.



Postado por Ricardo Lino Olonca@200.144.xx.xx [e-mail] em 09/08/2005 13h41min:
Olá a todos.
Vou contar a minha experiência com Linux em Desktop de usuário.
Na empresa onde trabalho, sugeri dar uma palestra / curso sobre o que é software livre, quais as vantagens e as desvantagens de se usar Linux, quais os problemas e possíveis soluções, tudo isso em uma linguagem bem simples para todos os leigos entenderem. Montei uma planilha de custos e a palestra levou 3 horas. Ao final, instalamos o Linux em máquinas que já tinham Windows (o ambiente que eles têem em casa), mostramos alguns aplicativos, como Firefox, Evolution, Wine e, claro, alguns joguinhos. E distribuímos CD's com a distribuição usada no curso/palestra. Após alguns dias, muitos dos nossos funcionários instalaram sozinhos o Linux em suas residências.
Também demos um curso para alguns adolescentes que nunca tinham instalado um sistema operacional. Instalamos o Windows XP (60 Mim)e, em seguida, o Kalango Linux (15 Mim). Depois perguntamos qual era mais fácil de instalar e TODOS acharam o Linux mais fácil, mais rápido, e com a vantagem de já vir com quase tudo o que eles precisavam (planilhas, editores de texto, agendas, jogos, comunicadores, etc...).
É isso o que precisamos mostrar: que o Linux não é um bicho de sete cabeças.
Agora, não adianta querer que um usuário comum instale sozinho o Debian, ou Slack (amo essa duas distros). Para isso existe Kurumim, Kalango, Conectiva, Suse, etc...



Postado por Sergio Clemente@150.163.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 13h41min:
Ubirata , perfeito.

Eric , a questã é que o pessoal do hardware só vai querer dar um suporte decente ao linux quando eles acharem que o tanto de usuários usando o linux seja tamanho para reverter os dividendos em lucro.

FALOW !



Postado por Heiko Rossmann@200.161.xx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 13h49min:
Esse seria o ideal. Mas como o ideal sempre eh um ponto distante, poderia ser buscado o bom. E o que eh o bom? Na minha opinião, o bom seria que as comunidades linux firmassem convenio com lojas de informatica. as lojas venderiam micros com linux instalado e o suporte tecnico - gratuito - seria garantido pela comunidade linux. assim, acredito que este SO ganharia mais espaco.



Postado por Diego Fernandes@201.10.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 13h59min:
Concordo plenamente com o que foi escrito. Se essa idéia não for levada a frente, usuários comuns (a maioria) nunca vão poder usar Linux. Gostaria de poder ajudar a difundir esta idéia.

Estou a Disposição,

Diego Fernandes
Analista de Negócios



Postado por Paulo Roberto Franco Andrade@200.233.xxx.xxx [site] [e-mail] em 09/08/2005 14h08min:
Afirmo: Linux é para Desktop e Servidores.
Uso Linux desde 1997, em casa e na universidade (UFU - Universidade Federal de Uberlândia), pois considero-o o melhor sistema operacional para minhas necessidades. Uso-o em três PCs desktops e em um notebook (neste, Linux e MS Windows - não-pirata - convivem). No órgão que dirijo, o servidor de rede roda com Linux, assim como os servidores de rede da UFU.
Penso software livre sob dois pontos de vista: tecnológico e político-institucional. Portanto, comentários do tipo "satisfaço meu umbigo e o resto que se dane" são por mim desconsiderados como contribuição ao oportuno debate que Sergio Clemente propõe. O movimento pró-software livre tem alta densidade Política (com P maiúsculo mesmo), só não vê quem não o quer.
Estou pouco preocupado em defender distribuições ("marcas", "grifes" de Linux). Já usei e ainda as uso, as mais famosas: Debian, Slackware, Red Hat. Hoje, uso Fedora e SuSe.
Ao que parece, quem propôs e alimenta o debate, com mínima seriedade, não é dono da verdade, mas quer ver o software livre triunfar sobre os interesses de monopólios e oligopólios de algorítimos (como diz Sérgio Amadeu, do ITI).
Pensemos nesse aspecto, antes de dizer algo do tipo: "Uso a distro A e dane-se quem usa MS Windows e/ou as distros B, C, D, ... Z.



Postado por Fred@201.17.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 14h31min:
Concordo com vc kra! acho que o linux deveria ser muito mais "acessivel" aos usuários domésticos, e com poucos conhecimentos! Quer queira quer não, o linux ainda é pra usuários que tenham o mínimo de conhecimento para lidar com ele! eu, que posso dizer que tenho um bom conhecimento, ainda uso o windows para jogos e para fazer meus dvds, pois a edição de vídeo no linux é muito fraca! portanto... nem todos abandonam o windows completamente... só 99 %



Postado por Vinicius@200.223.xx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 14h35min:
Me perdoem, mas achei o texto fraquíssimo.
Se tratando de DESKTOP, dá sim para abandonar o windows por completo. Estou assim há 1 ano e meio.
"Ah, mas você sabe se virar abrindo terminal e digitando comandos"
Eu respondo: não é bem assim.
Na minha casa eu tenho interface gnome e posso dizer que minhas duas irmãs e meu pai que entendem lhufas de computador utilizam o Linux, com menos reclamações do que quando tínhamos Windows. Tive um trabalho sim, para conseguir os drivers para meus hardwares, e como Eric bem colocou é uma luta desigual entre fabricantes de hardware e programadores.
Tentar padronizar o Linux é um assunto polêmico e bastante controverso. Não fale do Linux como se fosse uma empresa com má vontade de fazer o que a Microsoft faz no seu nicho de mercado. Se o próprio linux evoluiu a partir da sua diversidade expressa na sua licença libertária que permite a sua customização e correções num escala sem precendentes, fazer que todo mundo siga um padrão é uma sugestão um tanto quanto difícil de se obter e por vezes INDESEJÁVEL. Afinal, tem máquinas que não rodam ambientes pesados como KDE ou GNOME e aí talvez o ideal seja um ambiente mais leve, com o Xfce ou até o qvwm que roda em 486. Isso é importante para projetos de inclusão digital que contam com poucos recursos ou para reciclagem de máquinas.
Mas, enfim, estamos falando daquele ambiente desktop que deveria ser padrão para as máquinas que saem hoje das prateleiras com um pentium 4. Pois é, minhas irmãs ou meu pai não precisam abrir terminais para fazerem suas tarefas. Os mais de 50000 usuários de infocentro no estado da Bahia também não.



Postado por Fábio Brito - PsychoPenguin@200.217.xx.xx [site] [e-mail] em 09/08/2005 14h39min:
O autor foi bastante infeliz ao escrever esse artigo. Tentou 'clamar' por fazer com que os desenvolvedores façam um desktop completamente funcional sem antes verificar as iniciativas que ja estão sendo feitas.

Ao meu ver isso foi de uma falta de conhecimento total, e a única maneira de classificar esse texto é como FUD, digamos do tipo 'fogo amigo'.

Antes de se escrever tamanha asneira, o autor deveria antes se informar e ver que existem projetos a exemplo do Debian-BR-CDD [http://cdd.debianbrasil.org], que é voltada para uso em desktops e para a realidade brasileira. E digo que o Debian-BR-CDD não é o único projeto desse tipo. Projetos como o Ubuntu e muitos outros estão aí para mostrar que já temos desktops 100% livres e 100% funcionais, diria que até que são 'command line free' para a maioria dos casos.

Ao tratar do suporte a hardware, softmodens no caso, ou o autor mostrou-se inocente ou não se preocupou em procurar o porque dessa dificuldade para se instalar um driver para Linux. Eu fico com a segunda opção.

É sabido que muitos fabricantes não dão a mínima para desenvolver um driver decente, ou liberar as especificações de seu produto para que a comunidade possa desenvolver um driver livre. A única maneira de acabar com isso é: não comprem mais desses fabricantes, procurem um concorrente que respeite seu direito de escolha.



Postado por Joao Victor@161.148.xx.xx em 09/08/2005 14h53min:
Eu não queria adicionar mais um comentario a esse texto "cômico", mas vendo a qtd de gente postando, acho q não vou resistir...

Pessoal. Eu tô me sentindo aqui numa máquina do tempo. Peraí, o cara tá dizendo q a gente precisa melhorar usabiilidade do Linux? SÉRIO?? Não DIGA! É o artigo do ano. Genial, Revolucionário, Idéias inovadoras! Era tudo que estávamos precisando ouvir! Precisamos de mais gente com mentes brilhantes assim.

Pessoal. Isso aí que o cara tá falando já foi dito 17849276589265387569 de vezes, e já tem gente implementando. Se as coisas não chegaram ao patamar que vc deseja (pra *mim* o Linux no desktop já é realidade faz tempo), é porq as coisas levam tempo pra serem implementadas. Mas TUDO que vc tá falando aí já foi discutido e já tem gente tomando atitude.

Vai programar q é mais útil...




Postado por ups@201.8.xxx.xxx em 09/08/2005 15h01min:
Já existe um desktop Unix pronto, fácil, intuitivo, e têm os prgramas que vc usa no Linux.

http://www.apple.com/macosx/

Eu acho a idéia de convencer a APPLE abaixar os preços no Brasil, mais fácil que esperar um desktop para Linux.



Postado por Kid-X@201.0.xx.xx em 09/08/2005 15h06min:
Pessoal, já cansei de afirmar que, o GNU/Linux JÁ ESTÁ pronto para o Desktop.

Aliás, QUALQUER sistema operacional está pronto para o desktop, desde que o usuário saiba usá-lo e que atenda às suas necessidades. Compreendem? Acho essa a forma mais correta de se pensar...



Postado por Flavio de Oliveira@200.217.xx.xxx [site] em 09/08/2005 15h27min:
O GoblinX é feito para desktop... o windows NÂO...



Postado por Lucas Souza Fernandes@200.172.xxx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 15h40min:
Acredito que um GNU/Linux bem instalado idenpendente da distribuição que seja é fácilmente aceitável e amplamente utilizado como desktop... pois ferramentas como synaptic são pouco utilizadas... acredito que é trabalhos para o técnico de informatica que esta estagiando em uma loja fazer uma boa instalação e configuração do ambiente e conhecer e saber escolher as ferramentas para o usuário especifico.



Postado por J D@201.0.xx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 15h40min:
adorei a materia ....valeuw



Postado por Andre Souza - Bitstorm@200.223.x.xx [e-mail] em 09/08/2005 15h44min:
Sei... quantos usuários pegam um CD do WinXP, particionam o disco, fuçam as gavetas atrás dos drivers das placas de som, modem, rede, vídeo... instalam o MSOffice, antivirus, antispam, firewall e depois correm ao WindowsUpdate atualizar o S.O. ao SP2? Segundo sua lógica NEM O WINDOWS está pronto ao desktop.

O usuário comum quer usar a máquina, não importando o que haja instalado... minha mãe tem uma pequena empresa e usa GNU/Linux sem dificuldades há quase dois anos sem saber... bastou eu dizer que o Kurumin era a "versão mais nova do Windows" que ela começou a usar sem resistência...


Eu abandonei o Microsoft Windows 100%. Fale por si mesmo.



Postado por Sergio Clemente@201.7.xx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 16h03min:
Fábio eu conheço muito bem este mundo do Software livre sim.
Sei dos projetos por ai e não os desprezo.

E João Victor , comico o meu texto não é.
Poderim 6 bilhões de pessoas já terem levantado a mesma polêmica do que eu.
Mas oque adianta se tudo fica apenas nas discussões on-line?

E sei muito bem qual o patamar que o Linux esta para o usuário comum.

Não vejo o porque de mensagens tão hostís assim.

FALOW !




Postado por Luiz Fernando@200.207.xxx.xx em 09/08/2005 16h36min:
Os comentários deste texto de 1998 me fizeram rir muito, obrigado a todos!!!



Postado por wladimir camargo@200.207.xxx.xx [e-mail] em 09/08/2005 16h38min:
Muito fraco este texto. Essa discussão já é muito velha e não acrescenta em nada no problema da disseminação do linux em desktops.




Postado por Joao Victor@161.148.xx.xx em 09/08/2005 16h39min:
"Mas oque adianta se tudo fica apenas nas discussões on-line?"

Eu que pergunto! Vc acha q vc tá fazendo oq, além de engordar a qtd de discussões inúteis sobre esse tema?

Esse tema já tá mofado (vai pesquisar sobre Autopackage, Gnome-volume-manager, etc...) e já foi/está sendo tratado há tempos.

Vc faz parecer que vc é o único no universo que está preocupado com isso, e que não tem ninguem trabalhando nisso. Só que na verdade isto é apenas um reflexo de vc estar completamente por fora do que está em desenvolvimento atualmente.

"Não vejo o porque de mensagens tão hostís assim."

Porq falar é facil pra caralho, e esse tema já foi discutido até a morte. Vc espalha baboseiras pra outras pessoas q, como vc, estão por fora doq tá acontecendo nos "bastidores" dos projetos, nas listas de dicussões.

Vc acha q temos problemas de usabilidade porq queremos? Tenha DÓ. Falar é facil demais.



Postado por Ricardo@201.6.xxx.xx em 09/08/2005 18h10min:
Acredito que muito de nós utilizam o Linux diarimente em casa e no trabalho.
Já venho utilizando o linux desde 2000 e pude passar por várias distribuições e tive inúmeros problemas com cada uma delas.
Infelizmente, o linux não está preparado para usuários leigos. Não é fácil instalar novos programas, não é fácil instalar um novo hardware, e a maioria das interfaces e programas são pesados demais.

O linux é um ótimos sistema servidor, é assim que trabalho com ele hoje e ele atende 100% das nossas necessidades, entretanto quando o asssunto é desktop, desenvolver uma simples página HTML torna-se complicado. Editar um texto no openoffice requer muita paciência devida a lentidão ou uma super máquina, falo isso por que desenvolvi minha monografia no open office e ela tinha cerca de 200 páginas.

Infelizmente hoje é preciso reconhecer que o linux não é tão robusto quanto o Unix, não é tão fácil de usar quanto o windows e muito menos tão bonito quanto o MAC OS X.

Acredito q o linux vai ser um sistema muito bom para todos os gostos, mais no momento deixa muito a desejar e somente nós usuários profissionais é que com muita briga e consultas a fórums conseguimos utilizá-lo.

Abraço a todos!



Postado por Fábio Brito - PsychoPenguin@200.217.xx.xx [site] [e-mail] em 09/08/2005 18h36min:
Oi Sergio,

Desculpe se fui hostil em minha mensagem, não foi a minha intenção. O que eu queria era apenas expressar que esse artigo como foi publicado levanta possibilidades de que o software livre está muito aquém do aceitável para uso em desktops, o que é uma inverdade.

Você diz que conhece os projetos que citei no meu comentário anterior e diz que conhece o 'mundo do software livre'. Muito me espanta ver alguém que diz conhecer o 'mundo do software livre' dizer tamanha asneira. Já vi esse mesmo questionamento várias vezes, se não me engano a primeira vez que o vi foi ainda em 1996/1997 e os argumentos são sempre os mesmos, sempre derrubados por projetos já existentes.

Pesquise um pouco mais a fundo e veja que muita coisa do que você fala já existe. Verifique você mesmo, e se algo não lher for satisfatório, procure maneiras de como fazer melhorar, seja escrevendo código, documentando ou até mesmo criando um projeto novo a partir de um já existente. Essa é a dinâmica do software livre que você diz conhecer. Mais contribuição, menos falácia!

(não leve isso pro lado pessoal, são apenas críticas ao seu artigo que foi bastante infeliz IMHO)



Postado por Eder@200.207.xxx.xx [e-mail] em 09/08/2005 19h19min:
Acredito que como as outras novidades, cabe ao profissional de Informática dominar primeiro o sistema e a administração do OS. Porque do que adianta querermos abocanhar uma parcela da população e incentivá-las a usar alguma distro, sendo que ainda há dificuldades em dominar completamente o Sistema.
Atualmente uso CL 10 e estou feliz, mas só o uso porque estou frequentando Formação Conectiva Pro, aprender autodidaticamente seria uma tarefa desgastante e intolerável.
As distribuições tem que primeiramente se padronizar para depois convidar mais usuários.

Essa é a opinião de uma iniciante e admirador do até então Pinguim.

Eder



Postado por Klaus@200.167.xx.xxx [e-mail] em 09/08/2005 23h28min:
Perdão, mas... o Windows é mais usado por ser o 1º a ser pirateado, é simplesmente uma qustão de "quem chegou primeiro" o jogo seria inverso se o Linux chegasse 1º, uma vez que isso acontecesse ele seria o padrão.
Windows !!! é mais usado como Desktop por ser o mais pirateado - Exercemos nossa falta de respeito a propriedade intelectual - quastão de cultura influência.



Postado por Sergio Clemente@200.210.xxx.x [e-mail] em 10/08/2005 00h07min:
Fábio sim , estão feitos projetos.
Meu intuíto neste texto não foi menosprezar estes esforços , é por causa deles que o Linux esta se popularizando.

O intuíto meu era de chamar a atenção para esses pequenos poréns que parece que nunca são resolvidos.

Agora , porque não padronizar legal tudo ?

Se o usuário X quer usar o Slack , que eu adoro , que use, mas ele pode também usar digamos a distro , " Linux para Desktop " , bem voltada para o zé da venda da esquina que nem catar milho no teclado ele ainda sabe...

FALOW



Postado por Daniel Semblano@200.146.x.xxx [e-mail] em 10/08/2005 00h58min:
Falou tudo Sérgio, quanto ao exemplo do "Zé da Venda". Com isso estou criando e contando com a participação de quem quiser colaborar com esse projeto, criei um espaço no Google Groups com o nome de Desktop Linux, com o seguinte intuito de discutir soluções, know-how, idéias e novas facilidades que visam facilitar a vida do usuário comum, isto é, idéias e soluções que visam facilitar e melhorar o que existe e o que pode ser adicionado em matéria de desktop p/ GNU-Linux.

Em suma, o objetivo desse grupo é catalogar e organizar as dificuldades mais relevantes às questões desktop, bem como novas idéias para como possamos melhorar o que existe (e o que pode vir a existir) de desktop gnu-linux. Faço o convite a quem se interessar pelo tema a entrar no grupo: http://groups.google.com.br/group/desktoplinux .

Abraços, Daniel Semblano





Postado por adelar@201.14.xxx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 01h30min:
acho uma bobagem esse numero exagerado de distros (que duram 1 ou 2 anos, o linux ficaria muito melhor se a energia despendida para fazer clones de grandes distros como debian fossem gastas para aprimorar as grandes e boas que já existem! qual o problema no debian? o instalador? e agora que ele foi melhorado as distros baseado vão sobreviver? Concordo que essa distro ainda é um pouco dificil de instalar mas é muito menos oneroso aprimora-la do que criar ubuntu, knopix, etsc, etc



Postado por Adriano Rafael Gomes@200.203.xx.xx [site] [e-mail] em 10/08/2005 02h52min:
Caro Urubatan Neto, talvez eu não tenha sido claro o suficiente na minha primeira mensagem, ou não entendi a tua crítica à minha colocação.

Caso eu não tenha sido claro, mais pessoas podem ter me entendido mal, então esclareço:
Eu apenas disse que discordo da frase do autor que diz que "ninguém abandona 100% o Windows". Existem pessoas que abandonam 100% o Windows, isto é fato. Ou alguém realmente pensa que todos os usuários de computador do mundo usam Windows?

Não comentei o resto do texto, apenas a frase referida.

(Urubatan, caso concorde, que tal discutirmos em privado?)



Postado por Jonatã Bolzan@201.14.xxx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 03h06min:
Eu abandonei 100% o windows... sério mesmo... nem wine não to usando...



Postado por falcon_dark@200.103.xxx.xxx [site] [e-mail] em 10/08/2005 03h20min:
O excesso de janelinhas bonitinhas, botões de Next e "facilidade de operação" que esconde tudo que é parâmetro por trás de um botão chamado "Avançado..." é o grande responsável pela lentidão, fragilidade e vazamento de memória de Titanic do Windows... não é isso que eu quero pro Linux. Meus 10 centavos:
http://falcon-dark.blogspot.com/2005/08/linux-para-desktop.html



Postado por Sergio Clemente@201.13.xxx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 04h10min:
Realmente Adriano , fui infeliz nesta colocação .

Existem , claro usuários que abandonam o win ou que nunca o utilizaram.







Postado por Fábio Brito - PsychoPenguin@200.217.xx.xx [site] [e-mail] em 10/08/2005 11h50min:
Sergio,

Não tem como manter uma discussão eficiente por aqui. Vou mandar meus comentários para a lista.



Postado por ubiratamuniz@200.157.xx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 11h52min:
"Postado por adelar [e-mail] em 09/08/2005 22h30min:

acho uma bobagem esse numero exagerado de distros (que duram 1 ou 2 anos, o linux ficaria muito melhor se a energia despendida para fazer clones de grandes distros como debian fossem gastas para aprimorar as grandes e boas que já existem! qual o problema no debian? o instalador? e agora que ele foi melhorado as distros baseado vão sobreviver? Concordo que essa distro ainda é um pouco dificil de instalar mas é muito menos oneroso aprimora-la do que criar ubuntu, knopix, etsc, etc"

Adelar,

Era justamente o ponto em que eu tava querendo chegar. Fui um tanto quanto hostil no meu primeiro comentário, porém mantenho minha opinião. Existe um ou outro projeto bom em que há colaboração mútua por gente séria, sim (vou citar um exemplo conhecido de todos que é o OpenOffice), mas a maioria continua reinventando a roda o tempo todo . Essa questão da variedade de distros é uma delas... parece que o pessoal quer inflar o ego dizendo "eu fiz minha própria distro" (como se fosse algo assim tão complicado).
Mas o Linux ainda continua muito complexo para o usuário final. Pegando o exemplo do zé da esquina, você coloca pra ele uma distro configuradinha pra acessar a internet e digitar seus textos, beleza. Aí amanhã ele precisa instalar um controle de estoque para a venda dele. Vai conseguir fazer sozinho? NÃO!!!
Essa parte é que ainda está deficiente. Existem interfaces gráficas para instalação de pacotes (como o synaptic) mas elas ainda não são ideais para o usuário final, e a priore elas compreendem apenas o que vem na distro. Se o zé da esquina baixar um pacote de controle de estoque na internet, pode ter certeza que ele não vai conseguir instalar sozinho.
Quanto às críticas à estabilidade do Windows, me poupem. Isso é coisa do tempo do 9x que era EXTREMAMENTE MAL FEITO. Meu XP em casa tá instalado há 4 anos sem nunca precisar ter sido reinstalado, e olha que eu tô toda hora instalando e desinstalando aplicativos, e quase não trava (e meu micro não é novo, é um athlon 1.0 com 256 de ram). O que eu vejo aqui é um monte de fanático dizendo que o Linux é perfeito, e que nada mais presta, me desculpem, isso é radicalismo tolo. O Linux NÃO É PERFEITO e ainda tem muito o que evoluir, o Window$ também NÃO É PERFEITO e tem muito o que evoluir, nem mesmo o MacOS é perfeito. É justamente esse tipo de fanatismo que prega a idéia do "joga tudo fora e põe sistema novo" que atrapalha a disseminação do software livre, e isso se reflete até no desenvolvimento de aplicações como citei no meu outro post. O que mais tem é desenvolvedor vendo a solução do outro e jogando tudo fora e recomeçando do zero, no final em vez de ficar com uma opção excelente, ficamos com meia dúzia de opções meia-boca.
O ambiente desktop do Linux evoluiu MUITO nos últimos anos, mas ainda há muito trabalho a fazer. E quanto ao comentário do outro colega "vai programar, então", vai dizer isso pro usuário... :)



Postado por Sergio Clemente@150.163.xxx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 12h07min:
Ubirata

Se quiser entrar para o grupo ai esta o link

http://groups.google.com.br/group/desktoplinux

OPS ! Concordo Plenamente com oque você acabou de escrever.

FALOW !



Postado por ubiratamuniz@200.157.xx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 12h13min:
Finalizando, o maior problema é justamente o que foi citado, o Windows veio primeiro e tornou-se padrão. Então, o melhor a fazer é seguir esse padrão, tentar tornar o Linux o mais parecido possível (em funcionalidades e facilidades) com o Windows. É muito fácil acostumar-se ao Linux se foi o primeiro contato que o cidadão teve com informática (nesse ponto, considero a utilização de Linux em projetos de inclusão digital não só muito boa, mas essencial), mas pra quem já tá acostumado a trabalhar bastante tempo com o Windows é um tanto quanto complicado. Citando o exemplo dos meus pais, que citei no meu primeiro post. Meus pais possuem uma empresa. No computador de casa existe um sistema de controle de estoque (desses que vende-se em prateleira). Ora, como vou adaptá-los para usar o Windows? OK, eu que já tenho experiência de 16 anos em informática (já trabalhei com desenvolvimento também) teria uma certa facilidade pra fazer isso, a migração dos dados, e afins. Agora, o meu pai, ou o zé da venda da esquina, iria ter essa facilidade pra migrar os dados de um sistema de controle de estoque proprietário?! NÃO! Muito provavelmente teria de recadastrar TUDO. E isso não é prático.
Talvez até existam aplicações comerciais (não software comercial, mas software de automação comercial) open-source, como controle de estoque e impressora fiscal... mas a parte de instalação e configuração ainda é esquisita para os usuários leigos que já estão habituados ao Windows.
OK, aprender a usar o Linux é bem mais fácil para quem nunca viu informática na vida e nunca mexeu com windows, mas pra quem já está acostumado com o paradigma M$ e não tem um filho que conheça bastante de informática (citemos o exemplo do zé da esquina de novo) não ter que ficar "na mão" de um técnico, não é tão simples assim. Para uma transição adequada dessa "turma", só copiando o máximo possível de facilidades do Windows, já que ele veio primeiro e se tornou padrão.
Citando outro exemplo: lojas Renner. Todo o sistema dessa rede de loja de departamentos é baseado em Linux. Mas eles JÁ COMEÇARAM com o Linux.

Aliás, fala-se muito de liberdade de escolha na comunidade do software livre. Pensem que também existem pessoas que por seus motivos (quaisquer que sejam eles) podem escolher o Windows. Pensem nisso.



Postado por ubiratamuniz@200.157.xx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 12h14min:
Sérgio, já tô no grupo... :) recebi teu e-mail



Postado por Anthony Marciano@200.165.xx.xx [e-mail] em 10/08/2005 14h47min:
Cara ta aí uma coisa q eu não concordo, o linux não tem q ter janelas "bunitinhas" com botões q façam tudo... afinal foi isso q a microsoft fez com o windows, o usuário num tem q ser um "retardado" q só saiba sair clicando aki e ali pras coisas funcionarem, afinal mesmo pra fazer isso eles normalmente passam por um curso de "como clicar em janelas bunitinhas, com botoes arrumadinhos", c eles tivessem a oportunidade de aprender a usar o linux muitos adeririam, padronizar tudo é diminuir as opções de escolha, e limitar o usuário a escolher apenas o nome da empresa e comprar um produto q não seja inovador, é fazer um "cartel intelectual", sem mudança não há evolução, c nossos antepassados não tivessem mudado o padrão "taca pedra, mata, come, dormi e reproduz antes de morrer" hoje nós não estariamos aqui discutindo isso. Falar q o windows é mais antigo e "hoje" e o padrão está correto, mas falar q o linux tem q seguir o mesmo caminho, isso não, isso é retrocesso!

Anthony Marciano



Postado por Hailton@200.238.xx.xxx em 10/08/2005 15h47min:
os que abandonaram 100 %, parabéns, é a maior mentira do ano.



Postado por Wilton Lazary@200.138.xx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 17h43min:
Sou desenvolverdor de Software multi plataforma e ja trabalhei
em varias empresas migrando softwares e implantando linux e vou explicar minha visão.

Não concordo que o GNU/LINUX ainda não está pronto para desktops, ela ja supera muito o Windows nesse ponto.

O que falta ma minha opniao são os grandes fabricantes de software e hardware darem mais atenção ao linux, mas isso está acontecendo gradativamente.
Concordo que o usuário normal não precisa saber nada de sistemas operacionais e que tudo para ele deveria ser em clik-click e tem tarefas que um usuario nao precisa fazer como por ex compilar um kernel ou desenvolver um script.

Tenho certeza que em no maximo 5 anos o linux vai superar o Windows em quesitos de facilidade total e para finalizar vou dar uma de guru fazer algumas um previsões.

Em 2007 o Lazarus(Delphi multi plataforma), Mono(.Net) entre outros vão estar totalmente estaveis possibilitando a massa de desenvolvedores (limitados a windows) migrarem para linux.

Em 2008 o Wine(Aplicativos windows no linux) vai ter implementado toda a API do windows possibilitando qualquer aplicativo windows rodar no linux.

Apartir de 2009 os fabricantes de hardware e software vendo o crescente uso do sistema operacional Linux gradativamente vão disponibilizando seu produtos para linux.

Em 2010 não existe mais barreira entre linux e windows sendo
para o usuário final somente um questão transparente.

OBS: eu nunca vou querer ver o linux como um clone do windows, ele tem seu poder maximo na liberdade, mas para os usuarios finais isso nao importa, eles estão e sempre vão estar dentro da gaiola seja linux ou windows e isso não e um defeito deles e uma caracteristica natural de quem so precisa usar o computador como uma ferramenta auxiliar de meio .











Postado por Ledo@201.9.xx.xx em 10/08/2005 17h43min:
"Finalizando, o maior problema é justamente o que foi citado, o Windows veio primeiro e tornou-se padrão. Então, o melhor a fazer é seguir esse padrão, tentar tornar o Linux o mais parecido possível (em funcionalidades e facilidades) com o Windows."

Não concordo com o que Ubirata disse, e me inclino mais a posição do Anthony acima, o usuário tem que aprender a usar o computador e não o windows, o que quero dizer eh q não é td sistema operacional de hj em dia tenha OBRIGAÇÃO de imitar o Windows, mas que tenha características intuitivas para qq usuário usufruir da sua máquina.



Postado por marcos@200.204.xxx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 20h07min:
Sou iniciante em Linux, e acho que o grande problema para o usuário iniciante é o sistema de arquivos do Linux. O Windows é basicamente dividido em três pastas: a Windows (onde estão os arquivos do sistema), a Arquivos De Programas e a Meus Documentos. O usuário de Windows sabe muito bem onde deixar os executáveis de seus programas, coloca os seus arquivos pessoais em Meus Documentos, e não mexe muito na pasta Windows, para não fazer bobagem. O usuário iniciante de Linux apanha bastante no início, para saber onde estão o seu cachê de internet e os seus executáveis de programas instalados. O programa Synaptic facilita bastante, mas o usuário tem que conhecer mais de SO do que se estivesse no Windows para trabalhar com ele.

Um grande problema é que nem sempre o comando alien funciona como deveria para converter .rpm em .deb, o que causa transtornos aos usuários. Como os dois formatos de arquivos vêm de pessoas jurídicas bem definidas (a Red Hat e a fundação responsável pelo Debian), acho que seria bem simples um acordo pela compatibilidade total entre os diferentes formatos de pacotes, sem precisar padronizar em um só tipo de pacote de arquivos.

Muitos problemas relacionados ao Linux poderiam ser resolvidos se os maiores responsáveis pelo desenvolvimento dele tivessem uma colaboração mais estreita com os principais fabricantes de componentes para PC's, no intuito de obter padronizações e melhorias para instalação de placas nos computadores que usam Linux. Instaladores de sucesso no Windows, como o da Nullsoft, poderiam ser exemplos a ser seguidos pelos desenvolvedores, tornando mais fácil a instalação de programas no Linux.

A pressão política dos usuários Linux será necessária para que os desenvolvedores de páginas de internet respeitem os padrões internacionais e desenvolvam páginas amigáveis para os não usuários do Internet Explorer.

Todas as facilidades para o usuário que quer apenas usar o computador, sem ter que ter um conhecimento mais profundo de informática para fazê-lo, devem ser opções à mais, respeitando quem aprende a usar a linha de comando. Instalar e operar o Linux exige menos "cliques" do que os concorrentes, porém, mais conhecimento de quem o usa.



Postado por nono@201.9.xxx.xx [e-mail] em 10/08/2005 20h53min:
Cara, larga esse negócio de certificação linux. Fica com o windows. Vocês dois se merecem.



Postado por Valdereide Aparecido Zorzo@200.230.xx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 21h12min:
Não tenho computador em casa. Conheço Linux de "ler notícias e artigos" sobre ele. Do tempo que ando observando o Linux, já percebi uma melhora significativa em termos de instalação, por comentários de colegas que o utilizam e de tudo que já li.

Não esqueçam "experts" no assunto LINUX: sou bacharel em direito e nem por isso preciso saber TUDO de LINUX ou Window$ para fazer uma petição num editor de textos. O que me importa é que a ferramenta que usarei para minha tarefa funcione (bem e com "facilidades" - que sejam janelinhas bonitinhas ou não).

O software livre nunca esteve tão em alta no país como agora. Os telecentros em São Paulo são prova de que o usuário comum pode usar, sim, o GNU/Linux sem grandes traumas. O Estado de São Paulo já tem normas para dar preferência ao software livre, na hora da compra, como já existe no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, entre outros. Que mais querem para acreditar no potencial do Linux, para que ele cheque ao meu primeiro computador?

Não se esqueçam que a vocação do país é para software livre, subentenda-se Linux instalado em casa e no escritório, com um monte de aplicativos que rodam sem telas azuis e reinicializações intermináveis!. O usuário doméstico não quer pagar caro por coisas que não funcionam. Quem compra aparelho de DVD que não toca nada? Concordo que o Windows lidera no país porque sendo pirata "vale o que gastam nele".

Sou curioso nesta área, mas quero facilidades para usar qualquer programa que me ajude a realizar minhas tarefas diárias (mas prefiro que esses programas rodem sob Linux).




Postado por Sergio Clemente@200.210.xxx.x [e-mail] em 10/08/2005 22h09min:
Bom , nas mensagens daques que concordam , pelo menos em parte , com os meus pensamentos noto que a maioria gostaria de ver uma padronização no sistema Linux como a principal mudança no sistema.







Postado por André Luis Neves da Silva@201.24.xxx.xxx [e-mail] em 10/08/2005 23h53min:
FACILIDADE = KURUMIM :)= DEBIAN :) = USUARIO FELIZ
VIVA TUDO




Postado por Rafael@201.11.xxx.xx [e-mail] em 11/08/2005 14h07min:
Olha Sergio, não concordo nem um pouco com a padronização, principalmente porque é inviável, do ponto de vista de que no SL cada um faz o que quer, O LSB está aí e as Distribuições (exceto debian) ignoram-a.

Quanto ao comentário do Sr marcos o Linux tem sim todas essas pastas que você citou. o /home/(usuário) onde você coloca tudo que lhe pertence, a pasta /bin (e variantes) onde voc coloca os executáveis, as pastas de lib, onde ficam as Bibliotecas (algo similar a DLL) etc. Discordo que o Linux seja difícil de usar, e a maioria das pessoas que reclamam estão acostumadas de mais com Windows. Quer fazer um teste? Pegue algém que nunca usou um computador, e ponha um KDE na frente dele, ensine como funciona (ninguém sentou na frente do windows e usou sem receber pelo menos uma dica) e deixe ele trabalhando.

O Linux é 100% Utilizável no Mercado de Servidores e 100% Utilizável em Workstations (estações de trabalho) falta um pouco pra atingir o 100% nos desktops, mas isso é falta de vontade (ou seria medo?) das indústria de hardware e de Jogos pra trazererm títulos interessantes e compatíveis com o Linux.





Postado por Pedro@200.203.xx.xx em 12/08/2005 02h11min:
Está certo que não há uma distro que atenda 100% das necessidades de um usuário de desktop, mas se o tema é facilidade de instalação, SUSE já é fácil há muito tempo, KURUMIN dá show em qualquer hardware, LINSPIRE (era LINDOWS) instala fácil fácil, e a novíssima UBUNTU veio para ficar. Todas elas têm problemas, às vezes ridículos, como por exemplo a UBUNTU não conseguir configurar meu mouse serial (ela achou que era PS/2), mas é só uma questão de tempo. Acho que o problema a longo prazo está mais nas interfaces. KDE não só é feio como é poluído, GNOME é pesado. E não há uma terceira opção.



Postado por Sergio Clemente@150.163.xxx.xxx [e-mail] em 12/08/2005 10h58min:
O que estamos propondo no grupo desktop linux não é uma nova distro ou algo parecido.

Estamos propondo que elas sigam um padrão do tipo do LSB.

Isso já ajudaria bastante.

E sobre as facilidades mesmo o Kurumin ou SUSE ou Debian CDD ainda tem coisas que usuários desktops não precisam.

FALOW !




Postado por Beco@200.195.xxx.xxx [site] em 12/08/2005 12h52min:
Oi pessoal,

Convido a todos as pessoas educadas acima que queiram discutir o uso do Linux para profissionais das diversas áreas, que não conhecem, não tem tempo ou não desejam se aprofundar nos conceitos de sistemas operacionais, para participarem do grupo Linux-Workstation-BR em:
http://groups-beta.google.com/group/linux-workstation-br

There is an english version, for who want to discuss Linux and its usage as workstation by people who dont know, dont have time or simply dont want to study the concepts of an operational system, please join:
http://groups-beta.google.com/group/linux-workstation

Abraços,
Beco.



Postado por Anthony Marciano@201.19.xxx.xxx [e-mail] em 13/08/2005 20h45min:
Voltando a discussão, realmente concordei com alguns comentários, mas acho q c padronizassemos td perderiamos nosso direito d escolha, afinal os mesmos q defendem a padronização do SL acredito q vibraram com o processo q a M$ levo, por causa do monopolio. Se todas as distros se padronizassem não haveria evolução.
Voltando na historia pense nos casos...
Galileu Galilei
Isaac Newton
Einstein

C esses kras tivessem procurado seguir um padrão Hj como nos viveriamos...
Pense nisso antes de propor uma padronização...

Concordo com compatilidade tipo o BSD, E o wine, agora padronização... nunca!!!

Afinal queremos um novo gigante tipo a M$?

Anthony Marciano
FLW, Fui




Postado por Sergio Clemente@201.0.xxx.x [e-mail] em 13/08/2005 22h07min:
Anthony mas pelas mensagens que estou recebendo , de grandes nomes do SL, um dos maiores problemas é realmente a falta de padrão entre uma distro e outra.

Por exemplo os comandos diferenciam-se os lugares onde colocamos arquivos essenciais etc...

FALOW !



Postado por Alexandre@200.206.xxx.xx em 13/08/2005 23h07min:
Olá Anthony Marciano, desculpe mas não entendi seu ponto de vista...

No window$ tudo não é padrão M$? E quase todo mundo usa...


Sou tecnico em informatica a 6 anos, faz 1 ano que uso linux definitivamente e não é facil tudo bem, mas seria legal como no window$ se qualquer programa.exe rodasse? Se no linux ( qualquer distro ) tudo funcionasse em todos?

Acredito que uma padronização seria uma saída para o linux sim.

Só tem um problema, para quem nós vamos reivindicar?

Por favor me corrijam se eu estiver errado...



Postado por Anthony Marciano@201.19.xxx.xxx [e-mail] em 14/08/2005 00h42min:
Kra num disse q não gostaria d q os programas d uma distro num funcionasse em outra, mas pense aki, c um tipo d pacote funciona melhor do q outro c uma distro tem tais adeptos e outras outros tantos, qdo td padronizasse não haveria motivo de escolher uma ou outra... Pense tipo vc compra um carro, vc escolhe "há eu quero esse por isso" e num olha c a peça dele funciona no outro d outra montadora, e ninguem reclama... Pq sabe q mesmo assim tem peças pra ele so q diferentes. Por isso escolhemos o carro de acordo com o q precisamos, agora veja, c todos fossem iguais... peças e td mais, vc escolheria o seu carro pelo q?

Espero q tenha esclarecido melhor meu ponto d vista!

T+ Fallow dpois volto pra postar mais



Postado por mestico20@201.10.xx.xx em 14/08/2005 05h23min:
Bom eu uso linux a 2 anos direto e sinto sim faltas de programas pra ele inclusive simuladores de Aeromodelismo, outro problema é a imcompatibilidade de hardware esses malditos winmodens Pctel essas placas de som omboard, redes, um do problema serio do linux é a questao de ele ser atualizado muito rapido eu mesmo pra fazer um modem Pct789 tenho uns 20 drives aqui so uns 2 funcionam porque?? uns 5 sao pra kernel 2.4.xxxx outros são pra 2.6.x so basta um upgrade de 0 pra 1 e já era o seu drive e perca de horas em foruns busca de drives por isso acho que os fabricantes Assus, Pcchips não conseguem acompanhar o desenvolvimento do kernel ele e substituido muito depressa e não segue o padrão voce pode comprar um jogo na banca ele servira desde a versao 9x que foi inventada a anos atras e pegar uma do xp recente sei que a comunidade se esforça o maximo pra que os usuarios usem os hardwares lançados mas este eu acho o principal problema.





Postado por mestico20@201.10.xx.xx em 14/08/2005 05h37min:
Terminando o comentario este e o problema não e ter a roda redonda é ter que achar o lugar certo dela.

Digam que estou errado eu tenho drives que funcionavam normal so foi eu atualizar o kernel e meus lindos hardwares onboard de fabrica não funcionam + lá vai eu perder algumas horas ou dias atras de fazer eles funcionar se for um usuario leigo vai compila o drive falta lib ou dependencias ai complico tudo ou tem o drive pra Slack e nao tem pra fedora ou voce so encontra para o suse ou vice versa.
E como disse acho que os fabricantes de hardwares não querem invistir em programadores pra ficar estudando o kernel a cada atualização querem vender e fazer 1 .exe que rode em 1 distro,este são o pensamento deles!





Postado por Anilecio@200.151.xxx.xxx [e-mail] em 14/08/2005 12h16min:
O LINUX - É o futuro sistema operacional. Eu garando que já existem pessoas desenvolvendo um linux para desktop.Eu me lembro das pessoas quando diziam que o linux não ia da certo logo nas primeiras versões e veja hoje o que o linux se tornou,já foi materias de varias revistas, jornais e tv.E linux pode conseguir muito mais depende da contribuição de cada um.O LINUX CRESCEU DESTA FORMA!!!



Postado por ups@201.19.xx.xxx [e-mail] em 14/08/2005 17h34min:
Duvido que linux seja o futuro no Desktop. XGL parou de ser desenvolvido.

For me, the real disappointing thing is that neither big Vendor like
Redhat, IBM, Sun (except Suse!) nor Nvidia or Ati are interested in
Xgl... And there are components needed by Xegl, like an external input
subsystem with hotplug functionality, that would be useful for the
modular Xorg tree too! It's very sad that in the 2005, with a new
Windows coming in the next months, we are still relying on over 20 years
old technologies just because vendors consider them "good enough"...





Postado por davi baldin@200.18.xxx.xx [e-mail] em 16/08/2005 00h49min:
hehe, é por isso que eu vou virar jardineiro...

trampa com planta, nao xinga ninguém
se ficou feia a amarela, poe a branca...
se cresceu, corta
se não, aduba....
quando o veio sai, como a patroa !!
se tiver filhar, como também
e vcs fiquem descutindo quem é pior, pq eu vou plantar bananeira...., e cuidado com as suas esposa, sé é que tem gcc pra arrumar uma !!! hahahahahahaha



Postado por Bruno Cardoso@200.2.xxx.xx [e-mail] em 16/08/2005 16h12min:
É para isso que existe o famelix uma distribuicao totalmente voltada para o usuário doméstico.



Postado por Rafael@201.11.xxx.xx em 16/08/2005 21h17min:
"outro problema é a imcompatibilidade de hardware esses malditos winmodens Pctel essas placas de som omboard, redes, um do problema serio do linux é a questao de ele ser atualizado muito rapido eu mesmo pra fazer um modem Pct789 tenho uns 20 drives aqui so uns 2 funcionam porque?? uns 5 sao pra kernel 2.4.xxxx"

Não viaja meu nobre, isso é problema do fabricante que se apoiou no windows pra fazer hardware, é só reclamar para o fabicante e trocar de fornecedor. O próprio Linus Torvalds é bem explícito sobre esse assunto, deixando claro que drivers binarios funcionam com versões específicas de kernel

Não culpe o Linux, encontre os verdadeiros culpados



Postado por Carlos@200.217.xx.xxx [e-mail] em 16/08/2005 23h31min:
Parabéns Sérgio pelo post, muito bom.
Eu sou um usuário de Linux desde 1999 e 95% do tempo que passo no micro é na internet, não sou programador, não trabalho com informática, apenas um curioso que lê bastante e o motivo que me fez adotar o S.O. foi a ausencia de pragas como vemos nos sistemas proprietários.
Atualmente utilizo Slack 10.1 - 10 tb pois tá tão redondo que não tive coragem de tirá-lo, Debian-BR-CDD e Ubuntu. Já apanhei muito nesta longa caminhada e uma coisa que gosto de fazer é converter amigos para o Linux e realmente o obstáculo é fazer com que as pessoas que não "necessitam" de conhecimentos avançados se interessem pela complexidade para instalar programas, fazer configurações na mão...





Postado por Gabriel Santana@201.32.xxx.xx [e-mail] em 20/08/2005 03h08min:
Olá

Li alguns post, e concordo e discordo de alguns,
primeiro que essas "bobagens" de ficar falando que
a distribuição x, y são ruims e que k, w são melhores, é perca de tempo, isso é coisa dos fanáticos que acham que suas mulheres é gostosa para todos.(cuidado)

É a mesma coisa, dos posts encontrados nos foruns.

"pessoal me ajuda nisso, que estou saindo do ruinwindows"

Como é que você pode avaliar um post desses?
Você nota que o usuário não tem nem noção do que está fazendo, tipo de usuário que se gaba d+.

Sobre os Desktops, eu acho que o gnu/linux está 80%
preparado para os desktops, o único problema que eu poderia citar, aliás já foi citado acima, é problema da "empacotação" do mesmo arquivos em diferentes pacotes, quando se trata de diferentes distribuições.

Exemplo: distro w empacota a lib xyz no pacote pack1
mas a distro k empacota a mesma lib no pack2.

Isso é ruim até para um administrador, pois se ele der suporte para mais de um distribuição, vai ter que ficar cacando na internet onde ele pode encontrar aquela determinada lib para aquela distribuição.

Pois hoje existem ferramentas gráficas para instalações dos pacotes.

Bom o que não devemos, é adotar o software livre por modismo ou por causa do custo.

Lembrem das 4 liberdades.

Precisamos é argumentar porque o software livre é melhor, porque aquele usuário deveria usar o linux.
E não obrigar o usuário a usar o SL, e deixar o sistema ao gosto dele, só porque ele não gosta de raciocinar um pouco.

Porque usuário que usam windows tem dificuldades no linux? com o kde, gnome, xfce? OpenOffice, Firefox?
mesmo aqueles que fizeram cursos para usar o windows, tem dificuldades para usar o linux, e olha que o kde, gnome e xfce deixa o usuário bem avontadae.

O problema é de cultura, o problema é que não gostamos de mudanças, temos preguiça para raciocinar, as pessoas que fizeram cursos para usar o windows e tem dificuldades no linux, não fizeram o curso, elas foram programadas, é bem diferente de aprender.

Windows apenas controla o modo de como as pessoas devem "pensar", raciocinar e criar.

Tem que ser daquela forma, e pronto.

Elas precisam encontrar um ambiente bem "colorido"
para acharem que é o melhor sistema, precisam de aplicações que sejam instaladas em next, next
para dizerem que é muito fácil de usar.

É por isso que muitos caiem nos golpes de roubos de senha de banco, pois nem lêem o que está escrito, na verdade nem olha para o sistema, sabe que tem sempre que clicar ali, mais nem sabe o porque.

Intão se querem "melhorar" o desktop para o linux,
acho que só vão conseguir isso com muito eventos,
muita palestra, muita informação, fazendo parte dos GUL,e é preciso reeducar os usuários, não para eles usarem o linux, e sim para usarem qualquer sistema ou para qualquer situação parecida que eles acham melhores do que eles.


Bom espero que vocês tenham entendido o meu modo de ver
sobre essa questão.

Gabriel Santana
g



Postado por Ricardo Botelho@200.165.xxx.xx [e-mail] em 22/08/2005 16h14min:
Gostei do que o Tucano escreveu pelo seguinte fato tenho instalado no meu computador particionado (win/Linux) não abandono o win por que nem tudo eu sei fazer no linux e quando pessoa ajuda ( como o email que eu enviei para a Sulamita ) sou recebi com tiros de escopeta com balas de ignorancia..., acho que acho que isso é outra coisa que tem que acabar, essa total ignarancia com os iniciantes no linux.
Estou agora na frustação de ter que procurar tudo sozinha e sem ajuda alguma...

some day alone linux... Termino citando uma frase...

Ricardo Botelho
Programmer




Postado por TALITA PIRES@201.29.xxx.xxx [e-mail] em 16/09/2005 20h52min:

HENRIQUE! FAVOR COMUNICAR, PRECISO TIRAR UMA DÚVIDA SOBRE O FEDORE COM VOCÊ!

TALITA PIRES AMARAL

talitasalva@yahoo.com.br



Postado por Marcosps@161.148.xx.xx [e-mail] em 16/11/2005 13h36min:
Olha pessoal, se tem alguém ai ainda, acho que o LINUX ainda está longe de tirar o seu BILGATES da jogada, como diz nosso amigo SERGIO CLEMENTE que iniciou esta discussão, falta ser mais fácil, não precisa ser igual ao windows mas sim fácil, como diz a música, ligar o pc, fazer o que tem que fazer sem problemas e sair fora, é isto que o usuário quer, simples e fácil não sou usuário avançado, mas também não sou bitato, tenho o Kurumin com o XP num disco gerenciado pelo lilo e o slacke 10 noutro disco o kurumin é facil até a minha mulher, que não entende nada de pc, usa e gosta mas já o slack e´um pouquinho mais complicado.
Não estou dizendo que um é melhor que o outro mas deve ser criado algo fácil, não precisa ser colorido nem nada, é só ser fácil pô.
Estou tentando instalar uma distro em uma máquina antiga, já tentei ,Ubuntu, Knopix, Suse, Gentoo, Totoo,Big Linux, Tupiserver, Gobolinux, Slack e outras todas atualizadas de 06/05 pra cá ou as versôes mais novas, dai uma não abre o X, outra não funga o som, outra não abre o cd e assim vai.
Instalei uma distro que funcionou da primeira vês, configurei ela beleza, dai fui esperimentar outra distro quando voltei a usar a que tinha dado certo não funcionou mais, e dai.
Administro uma pequena rede de micros e queremos migrar para LINUX mas em cada máquina ele se comporta diferente, é disso que falo.

TEM que ser simples e fácil meus amigos.

Sei que tem gente que gosta do Kernell, pois que continuem com ele, mas saibam respeitar a opinião dos outros.

Porque o BILGATES é o cara "inventou" o ícone de atalho e agora patenteou o duplo-click, e dai é uma merda mas todo mundo usa ou já usou, o LINUX é de todos e não de uma minoria que acredita que dentro em breve trocaremos uma espiga de milho por um pente de memória.

Deixei meu recado, um abraço para todos e ao inves de ficarmos aqui discutindo o que é ou deixa de ser vamos trabalhar para fazer do LINUX um SO BEM MELHOR DO QUE É HOJE..
FUiiiiiiii



Postado por JulianSlack@201.8.xxx.xx [site] em 13/02/2007 20h22min:
Concordo que o linux tem que melhorar alguns ítens para o perfeito uso em um desktop, principalmente agora que o novo Ruindows foi lançado, e que muita gente, mais muita gente mesmo fala que prefere migrar pro linux do que para o novo Ruindowsvista, este que por sua vez parece mais um defeito genético com genes do Ruindows e do MacosX.



Postado por Robson Cabanas@200.136.xx.xx [e-mail] em 20/02/2007 15h20min:
Basta um dia nao mais existir copias piratas de windows que esta discussao acaba rapidinho!!! :)



Postar seu comentário no site:
Nome:

E-mail:

Site:

Comentários (Não use tags HTML):

Caracteres digitados: 0
Limite de caracteres: 3000.
Manter meu nome e e-mail para futuros comentários.

Digite os números da imagem:
Verificação de Segurança